Agricultores contrataram R$ 25 bilhões em crédito rural em dois meses

Arquivado em: Geral,Politíca |

Arquivo/PAC

Médios e grandes agricultores contrataram R$ 25 bilhões em crédito bancário nos dois primeiros meses da safra agrícola 2017/2018. O valor é 29% superior ao registrado no mesmo período do ano passado e representa 13% dos recursos de financiamento da safra, de R$ 188,4 bilhões. As instituições financeiras liberaram mais de 132 mil contratos de financiamento, que envolvem crédito de custeio, comercialização e investimento. Em julho e agosto de 2016, foram 110 mil operações.
Os dados constam do relatório da liberação de recursos da safra 2017/2018, de julho e agosto, divulgado nesta quarta-feira (13), pela Secretaria de Política Agrícola (SPA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O relatório aponta também que o desembolso nas operações de custeio e de comercialização atingiu R$ 20,7 bilhões, em alta de 29%. Já as contratações de investimentos chegaram a R$ 4,4 bilhões, com crescimento de 30%.
As contratações pela Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) atingiram R$ 5,3 bilhões. No período anterior, foram R$ 2,8 bilhões. De acordo com a SPA, esse resultado decorre do aumento na emissão do título, criado com o objetivo de diversificar as fontes de financiamento do crédito rural. Do total da LCA, R$ 2,2 bilhões foram para as operações de custeio, R$ 2,5 bilhões para comercialização, R$ 171 milhões para industrialização e R$ 390 milhões para investimentos.
As instituições públicas ofereceram, em julho e agosto, nas modalidades custeio, industrialização e comercialização, R$ 9,9 bilhões (+ 72%), já os bancos privados somaram R$ 6,7 bilhões (- 10%) e as cooperativas de crédito, quase R$ 4 bilhões (+ 41%). Entre as linhas de crédito de investimento, operadas principalmente pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e pelo Banco do Brasil, houve significativa demanda pelo Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária (Inovagro) e Agricultura de Baixa emissão de Carbono (ABC), além do Moderinfra e do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp).
As contratações do Inovagro atingiram R$ 90 milhões (uma alta de 733%), o Programa ABC subiu para R$ 146 milhões (+400%), já o financiamento do Moderinfra foi para R$ 43 milhões (+151%). No Pronamp, o desembolso foi de R$ 543 milhões, ante R$ 135 milhões em julho e agosto do ano passado, em alta de 302%. As aplicações no Moderfrota, programa de aquisição de maquinário, se situaram em R$ 1,4 bilhão.
“O desempenho do crédito rural na atual safra revela uma situação de normalidade e de aumento na demanda do produtor rural e de suas cooperativas por recursos para o financiamento da safra e para investimentos direcionados à ampliação de sua capacidade produtiva”, salienta o secretário Neri Geller. Ele observa que, apesar do recuo dos preços agrícolas, há a expectativa de sua recuperação a médio prazo.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Agricultura