Bebê morre de desnutrição após pais o colocarem em dieta “alternativa” sem glúten e lactose

Arquivado em: Geral,Mundo |

Imagem ilustrativa

Um bebê de sete meses na Bélgica, identificado apenas como “Lucas”, morreu de desnutrição após seus pais o colocarem em uma dieta livre de glúten, apesar de nenhum diagnóstico ou recomendação médica.
A criança pesava nove quilos, cerca da metade da média normal para alguém de sua idade, e estava extremamente desidratada. Com informações da Medical Daily. Lucas estava sendo criado sob uma dieta livre de glúten, que consistia em leite de quinoa, leite de arroz, leite de aveia e outros produtos lácteos. Ao notar que o filho não estava tão saudável quanto antes –a criança “ofegava” – os pais, Peter S. e Sandrina V., levaram-no a um homeopata. O especialista, por sua vez, imediatamente pediu que o bebê fosse levado a um hospital.
A criança morreu assim que chegou ao hospital, com extrema desnutrição citada como causa provável. Uma autópsia revelou que seu estômago estava quase que completamente vazio e bastante desidratado. Embora tenha morrido em junho de 2014, o julgamento dos pais continua até os dias de hoje. De acordo com o promotor público da cidade natal da família na Bélgica, a alergia a glúten de Lucas nunca foi confirmada por um médico, tampouco sua dieta extrema.
“Os pais determinaram por meio de diagnóstico próprio que o filho era intolerante ao glúten e tinha alergia à lactose”, explicou o defensor público. “Nenhum médico tinha um dossiê sobre Lucas e os serviços de proteção infantil não sabiam sobre”. Peter e Sandrina defendem as decisões tomadas em relação ao filho, afirmando que ele nunca pareceu doente ou anormal, e seu peso sempre subia e descia. No entanto, de acordo com a Parents.com, enquanto aos sete meses de vida, os bebês devem ganhar uma média de cerca de um quilo por mês, e os pais devem consultar um médico se isso não estiver acontecendo.
A advogada do casal, Karine Van Meirvenne, explicou que eles acharam que o estranho ganho de peso do filho estava relacionado a um problema alimentar, e não a problemas de dieta, já que ele sempre sofria com cólicas quando tomava uma mamadeira. “Nós não levamos Lucas a um médico porque nunca notamos nada de incomum”, disse o pai. “Às vezes ele ganhava um pouco de peso e depois perdia. Nunca desejamos a morte de nosso filho”, acrescentou a mãe.
Embora ainda não esteja claro se a criança tinha ou não uma alergia alimentar específica, novas pesquisas mostraram que dietas sem glúten poderiam representar um risco para pessoas sem doença celíaca. Um dos principais riscos desta dieta para as pessoas que não precisam é a desnutrição. De acordo com a MayoClinic, dietas sem glúten tendem a ser pobres em ferro, cálcio, fibra tiamina, riboflavina, niacina e folato, todos nutrientes necessários para uma dieta equilibrada.
Em entrevista ao Daily Mail, a pediatra Elisabeth De Greef, do Hospital Universitário de Bruxelas, disse que alimentar uma criança sem alimentos com glúten e sem recomendação médica é extremamente perigoso. “Esses tipos de leite, que você pode comprar em um supermercado, não contêm as proteínas necessárias, minerais e vitaminas”, explicou. “Eles não são feitos para bebês, portanto, são inadequados”.

Fonte: Jornal Ciência – Leia mais aqui

Deixe uma resposta