Desemprego atinge 12 milhões de pessoas e tem maior taxa desde 2012

Arquivado em: Geral,Politíca |
Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

O desemprego atinge 12,1 milhões de pessoas, o que equivale a 11,9% de pessoas desocupadas no trimestre móvel encerrado em novembro. A taxa de desocupação e o contingente de pessoas são os mais altos da série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (Pnad Contínua), iniciada em 2012.
Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 29 de dezembro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e são semelhantes aos do trimestre móvel imediatamente anterior – junho a agosto –, quando a taxa de desocupação fechou em 11,8%. Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, foi registrada uma alta de 2,9%.
O número de desempregados teve um crescimento de 33,1% em relação ao mesmo trimestre do ano passado – o equivalente a 3 milhões de pessoas a mais em busca de trabalho. O contingente de pessoas ocupadas hoje é de 90,2 milhões.
Setores em baixa
As baixas partiram da agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e agricultura, -4,7% e -438 mil pessoas; indústria geral, -8,2% e -1,0 milhão de pessoas; construção, -9,0% e -702 mil pessoas; informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas, -2,6% e -256 mil pessoas; e serviços domésticos, -3,1% e -194 mil pessoas.
Do total de pessoas empregadas, 34,1 milhões tinham carteira assinada no setor privado. Frente ao ano anterior, o recuo foi de 3,7%. O número de empregados no setor privado sem carteira de trabalho assinada cresceu 3,5% contra o mesmo trimestre de 2015.
Rendimento
Já o rendimento médio recebido pelas pessoas ocupadas ficou estável em R$ 2.032, de acordo com a pesquisa. Em relação ao mesmo trimestre de 2015, os empregadores tiveram queda no rendimento de -5,9%, e as outras categorias ficaram estáveis.
A categoria dos trabalhadores por conta própria somou 21,9 milhões de pessoas: número 3% menor do que o registrado um ano atrás. Por outro lado, o número de empregadores, estimado em 4,2 milhões de pessoas e ficou praticamente igual ao registrado no mesmo trimestre de 2015. O contingente dos trabalhadores domésticos, 6,1 milhões de pessoas, também ficou estável.
Nível de ocupação
O nível da ocupação – porcentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar – ficou em 54,1% no trimestre de setembro a novembro. Houve retração na comparação com o mesmo trimestre de 2015, quando o índice chegou a 55,9%.
A força de trabalho – pessoas ocupadas e desocupadas –, estimada em 102,3 milhões de pessoas, cresceu 1,1% – mais 1,1 milhão de pessoas – frente ao mesmo trimestre de 2015.

Fonte: Agência CNM, com informações do IBGE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *