Escolas particulares terão reajustes de até 12% em 2014

Arquivado em: Educação,Geral |
Pais podem se preparar para o aumento da mensalidade ano que vem

Pais podem se preparar para o aumento da mensalidade ano que vem

Os pais podem se preparar para um aumento de gastos já no início do próximo ano. Escolas particulares de Salvador estimam reajustes de até 12% nas mensalidades para 2014. O índice é quase o dobro da inflação acumulada dos últimos 12 meses, de 6,5%, calculada pelo Banco Central.

Procuradas por A TARDE, diretores de 10 escolas afirmaram que ainda estão analisando os reajustes para o próximos ano. Setores de matrículas das escolas São Paulo, Salesiano Salvador, Marista de Salvador, Antônio Vieira e Instituto Social da Bahia (Isba), no entanto, informaram aumentos entre 6% e 10%. Já o setor de matrículas do ISBA indicou que o reajuste só vale para novos alunos.

Com o índice já fechado, o colégio Apoio informou que as mensalidades do Ensino Fundamental I e II irão aumentar em 10,9%. Os valores pagos para o terceiro ano, geralmente os mais caros do Ensino Médio, vão subir 11,9%. A TARDE entrou em contato com a diretoria da escola, mas não obteve resposta até o fechamento desta edição.

Justificativa

A  lei que regulamenta reajustes escolares (Lei nº 9.870) não determina os índices que devem ser aplicados pelas escolas.

No entanto, para aumentar as mensalidades acima da inflação, os estabelecimentos de ensino devem tornar pública uma planilha de custos que justifique os aumentos. Além disso, o reajuste só pode ser realizado uma vez no período de 12 meses.

“Os preços devem estar compatíveis com os serviços oferecidos”, explica o coordenador de atendimento do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-BA), Iratan Villas Boas.

Os aumentos devem ser justificados com melhorias nas escolas, como modernização do ensino, aprimoramento de salas de aula, aumento de salários ou qualificação do corpo docente.

A justificativa com a planilha de custos, o valor da nova mensalidade, os termos do contrato e o número de alunos por sala deverão ser  expostos até 45 dias antes do prazo final para a realização da matrícula.

Avisos

O Código de Defesa do Consumidor garante aos pais o direito de ter a informação do aumento antecipadamente. “O correto é que as escolas entreguem aos consumidores as planilhas de gastos ou coloquem disponíveis em locais de fácil acesso”, afirma o coordenador do Procon-BA.

Para o gerente técnico do  Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Carlos Thadeu de Oliveira, a antecipação do índice de reajuste é positiva.

“É bom que as escolas avisem logo, porque os pais podem antecipar a negociação desse reajuste.  Isso permite que as pessoas se planejem e façam as suas escolhas”,  afirma Oliveira.

Custos

Presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino da Bahia (Sinepe), Natálio Dantas afirma que os materiais pedagógicos e atualização de laboratórios são os fatores que mais influenciam nos aumentos dos colégios.

De acordo com o presidente do Sinepe, escolas mais “tradicionais” tendem a dar aumentos que variam entre 10% e 12%. “As escolas menores disputam entre si os alunos e não dão aumento”, afirma Dantas.

Dados do sindicato apontam uma média de 7% de reajuste entre as escolas associadas, entre os anos 2010 e 2011, e 7,5%, entre 2012 e 2013.

Uma das escolas que não informou o índice, o Colégio Oficina afirmou, em nota, que está em fase de avaliação e planejamento.

“A definição da nova mensalidade tem como base a mensalidade do ano anterior, mas deve sofrer reajuste de acordo com o aumento das despesas da escola”, afirma o diretor financeiro do Colégio  Oficina, Heleno Coelho.

O aumento de salário de 8% dado aos professores da rede particular neste ano e o reajuste do salário mínimo, antecipado pelo governo para 2014, também devem inflacionar as mensalidades.

Paula Janay Alves – A Tarde

Deixe uma resposta