Governador lança programa que fará dessalinização de água no Semiárido

Arquivado em: Geral,Piauí |
Lançamento programa Água doce (Foto:Thiago Amaral)

Lançamento programa Água doce (Foto:Thiago Amaral)

O governador Wilson Martins lançou nesta sexta-feira (8), no Palácio de Karnak, o Programa Água Doce, promovido pelo Governo Federal em parceria com diversos órgãos do Governo do Estado, além de entidade da sociedade civil organizada. O programa irá instalar equipamentos de dessalinização e oferecerá capacitação a comunidades rurais de 20 municípios do Semiárido piauiense que sofrem com a falta de água e/ou consomem água com excesso de minerais e elementos químicos pesados. O investimento é de R$13 milhões.

Segundo Renato Saraiva, técnico do Ministério do Meio Ambiente e coordenador do PAD, o programa faz parte de uma política pública permanente de acesso a água de qualidade. “O Piauí tem um potencial de águas subterrâneas muito grande. Esses equipamentos (cisternas de dessalinização) permitem também a filtragem molecular da água, reduzindo a presença de elementos que podem ser nocivos à saúde humana”, explicou.

O PAD tem ações nos nove estados brasileiros e em Minas Gerais. No Piauí, serão beneficiadas mais de 26 mil famílias de municípios escolhidos a partir da análise de critérios como pluviometria, Índice de Desenvolvimento Humano e mortalidade infantil. Campo Alegre do Fidalgo, Curral Novo do Piauí e Betânia do Piauí sã

“Nós já tentamos vários modelos de dessalinizadores. Em Acauã, por exemplo, já foram utilizados três modelos, mas todos funcionaram por pouco tempo em função das dificuldades com manutenção. Agora, criamos o Núcleo de Gestão do PAD, que irá ser responsável pela instalação desses equipamentos, assim como sua manutenção. Esperamos que haja consistência e continuidade”, afirmou o governador Wilson Martins.

O Núcleo é coordenado pelo Emater e envolve ainda órgãos como as Secretarias Estaduais de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Planejamento, Saúde e Desenvolvimento Rural, Agespisa, Departamento Nacional de Obras Contra as Secas, Embrapa Meio Norte e entidades como Cáritas e Associação Piauiense de Municípios.

Vanessa Mendonça – CCom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *